Brasileiros em Las Vegas, por Nayara M.

Olá Pessoal!

Hoje temos uma convidada especial: a Nayara M. Ela nos conheceu através do blog e, gentilmente, aceitou o convite que eu fiz para contar um pouco da experiência dela de morar nos EUA, mais precisamente em Las Vegas, também conhecida como: SIN CITY (a cidade do pecado 🙂 ).

“Meu nome é Nayara, tenho 26 anos, sou casada e mãe do Davi! Bom, primeiramente, obrigada por estarem lendo meu post, escrevo com o maior carinho do mundo. E segundo, obrigada Cris pelo convite, ficamos muito felizes!

Começamos a viajar para fora do Brasil há 3 anos, o Davi ainda era um bebê de 6 meses: fomos para Chicago por 3 meses, Boston por 4 e fizemos dois cruzeiros com a companhia que meu marido trabalha por 2 meses cada. Há 5 meses estamos em Las Vegas, e ao que tudo indica, é o nosso destino final (pelo menos pelos próximos 2, 3 anos).

Quando o Vinicius recebeu a proposta de trabalhar aqui, casino e luzes foram as primeiras palavras que vieram em nossas cabeças. Como assim? Criar uma criança de 3 anos em Las Vegas?? Las Vegas mesmo, a cidade da bebedeira, promiscuidade e stripers! HAHAHAH sim, foi o que eu pensei! Esse pânico tomou conta de mim por 2 meses antes de viajarmos, pois agora estávamos de mudança mesmo!

O Vinicius veio primeiro para ajeitar as coisas, e eu e o Davi depois de 1 mês. A primeira impressão ao pisar no aeroporto Maccarran aqui de Las Vegas foi a de você estar em um filme: assim que você sai do avião já se depara com MUITAS máquinas de caça níquel. É um mini casino dentro do aeroporto. É interessante à primeira vista, mas aquele filme de você perdendo a casa e os filhos para a máquina já me deixa bem esperta e eu passo longe! Rs

Vindo para a nossa casa passamos pela famosa Strip: essa é a rua mais famosa de Las Vegas, onde você encontra os luxuosos e mais badalados casinos e as lojas mais famosas daqui. Na Strip, você viaja da China à França e consegue dar uma paradinha em Nova York e Veneza em minutos, pois a maioria dos casinos são temáticos. É impressionante, mas as luzes dessa rua ficam ligadas 24 horas por dia. Passamos por lá por volta das 13:00 e estava tudo aceso: as calçadas, ruas e lojas lotadas de turistas; foi amor à primeira vista, pois eu adoro povão e movimento.

Passando pela Strip e vindo sentido bairro, as luzes foram ficando para trás, os prédios se transformando em casas e as limousines em carros de família. Foi um susto, pois para mim, Las Vegas inteira era assim, e foi ai que eu percebi que existe vida fora da Strip e existe um lugar muito bom para se criar filhos (YES!!!!!). No inicio eu ia para a Strip pelo menos 1 vez por semana, adorava aquela movimentação toda, mas agora a fase turista já passou, eu fujo de lá por conta do trânsito; mas ainda assim, continua sendo um lugar que gosto de ir para passear.

Com o tempo fomos conhecendo a cidade, descobrimos que aqui existe muita coisa legal para criança; inclusive, como o verão aqui é muito quente, a maioria dos parques infantis que encontramos possuem um espaço para brincadeiras com esguichos e jatos de água saindo do chão, é muito legal! Como aqui em Vegas tem muito mexicano a variedade de restaurante e supermercados desse gênero é gigantesca, e como brasileiro sofre longe do arroz com feijão, nesses estabelecimentos conseguimos encontrar esse tipo de comida com muita facilidade.

Se você for vir para Vegas e não quer gastar muito, uma opção deliciosa para se fazer com a família ou até mesmo a dois, é ir assistir a “Dança das Águas” no casino Bellagio. Ela acontece a cada 30 minutos, 24 horas por dia e é totalmente gratuita. É deslumbrante e vale muito á pena.

Aqui do ladinho de Las Vegas, tem um lugar que se chama Mount Charleston. Por incrível que pareça, no inverno lá neva MUITO; então se você for vir entre os meses de Dezembro e Fevereiro, aconselho a ir ao Mount e ficar pelo menos uma noite. As pernoites não passam de $99,00 o casal, os chalés são super aconchegantes e a vista nessa época do ano é maravilhosa.

Para quem tem disponibilidade de tempo, vale também ir até o Grand Canyon: ele fica á 4 horas de Las Vegas; é só alugar um carro ou ir de excursão que custa $74,00. A vista é fascinante, os hotéis de lá variam entre $90 e $130 (os de dentro da reserva), mas caso você tenha um espirito aventureiro e goste de acampar, também é uma opção e você paga apenas $15. A vista do nascer e pôr do sol é de tirar o fôlego!

Ah, outra coisa legal de Vegas é que as taxas aqui para compras seja de cosméticos ou roupas é a menor dos Estados Unidos: então você consegue comprar mais e pagar menos!

Bom pessoal, foi maravilhoso contar um pouquinho da minha experiência morando há apenas 5 meses aqui. É uma cidade muito acolhedora longe da Strip, claro que nada supre o nosso Brasil e a receptividade que nós brasileiros temos, mas digo com toda a certeza desse mundo, que hoje sou feliz por conseguir fazer com que meu filho cresça aqui. Mesmo a saudade da família sendo grande, fizemos uma escolha maravilhosa para a vida dele.

Obrigada pessoal! Vejo vocês em uma próxima oportunidade! Até mais! Beijos Nayara M”.

Obrigada, querida Nayara, pela gentileza de escrever esse post contando um pouco da sua “vida americana”.

Aqui vai um pouquinho do registro da Nayara de sua vida pelos EUA:

12493797_10201215456546329_8649436197708911870_o 12496481_10205621360947688_4197274290457627641_o 12973042_10206233740616797_9200719290557175420_o

Vejo vocês no próximo post! Byyyeeeee

FACEBOOK: http://www.facebook.com/viajantesemmala

INSTAGRAM: @viajantesemmala

Advertisements

Doe o Seu Jeans Velho e Ganhe Desconto na Compra de um Novo

Olá Pessoal!

Estava eu arrumando o meu guarda-roupa quando encontrei uma calça jeans que, como muitas, não dava para doar 😦 MASSSSS, eu me lembrei de um dia ter visto uma propaganda (não lembro onde) falando sobre um programa no qual você doa a sua calça jeans velha e a instituição transforma o jeans em “algodão”para ser usado como isolamento (serve como um isolamento térmico) para ajudar a manter a casa aquecida de pessoas carentes nos EUA e ao redor do mundo. E aí lá fui eu pesquisar 😉

Encontrei esse site com o nome: BLUE JEANS GO GREEN:

http://bluejeansgogreen.org/Recycle-Denim/

O processo é esse aqui da foto:

blue-jeans-go-green-2

Depois que transformam o jeans, ele é usado na casa da forma como está sendo demonstrado na foto abaixo:

cotton-inc-3

Fui procurar no google onde eu poderia doar em NY e encontrei em NY pelo menos, SEIS pontos de doação. E agora vem a melhor notícia: a loja MADEWELL (https://www.madewell.com/index.jsp) que tem várias lojas espalhadas por aí, recebe a sua doação e te dá U$20.00 de desconto na compra de outra calça jeans na loja deles. Vou me informar se é preciso gastar lá ou se pode simplesmente deixar a calça 😉 (depois venho aqui atualizar o post).

Essa promoção é válida até dia 31 de dezembro de 2016. Corre que ainda dá tempo 😉

Então, em sua próxima viagem a NY, caso queira fazer uma boa ação, pega aquela calça jeans que iria para o lixo e DOE! Você estará ajudando a aquecer muitas famílias 🙂

Se gostou do post, não deixe de curti-lo 😉

Vejo você no próximo post! Byeeeeee

 

Viajante Sem Mala Responde: Conexão de Internet

Olá Pessoal!

Uma pessoa que nos acompanha lá na página do facebook (www.facebook.com/viajantesemmala.com) mandou uma mensagem perguntando sobre como funcionava a minha internet. Por isso, este post será dedicado a responder a esta pergunta.

O nome da companhia de internet que nós usamos é a TIMES WARNER CABLE.

É a MELHOR? NÃO

É a MAIS BARATA? SIM

Aqui aonde eu moro, só tinha essa opção ou a Verizon (que o serviço é considerado melhor, mas que custa o DOBRO do preço).

As pessoas costumam fazer o pacote: INTERNET + CABLE + TELEFONE (residencial), mas nós optamos apenas pela internet.

O custo mensal da internet é de U$39.99 e esse pacote só dura 6 meses. A cada 6 meses, eles aumentam e precisamos ligar para eles e buscar um pacote mais barato. Muita gente não sabe disso e acaba aceitando o reajuste. Para conseguir bons pacotes, é preciso ligar pela manhã e no início da semana. Segundo os funcionários (não sei se é verdade) a empresa oferece um número limitado de ofertas por semana (por isso é bom ligar pela manhã na segunda ou terça).

A velocidade da nossa internet para download é de até 50 mbps.

Usamos a internet para assistir vídeos do youtube, filmes do Netflix, acessar nossas redes sociais e e-mails. É a mesma internet que compartilhamos com os hóspedes e, até hoje ninguém reclamou 😉

Outra dica para quem for usar os serviços dessa empresa: NÃO COLOQUEM PARA PAGAR CONTA AUTOMÁTICA NO BANCO (pois não é raro dar erro no boleto e fazerem uma bagunça com o nosso pagamento) e, quando a empresa vai instalar a internet, ela oferece o aluguel do modem – U$10.00/mês (algumas pessoas não sabem que podem comprar isso em uma loja como a Best Buy e não precisar pagar aluguel para a TW). Compramos o nosso e economizamos bastante.

Ah, no site da Time Warner eles oferecem internet por outros valores, mas é tudo pegadinha. Ja tentamos e é tanto fee junto que acaba ficando mais caro do que o anunciado. Acreditem: este valor que pagamos é o mais barato.

(se gostou do post, não esqueça de curti-lo 😉 )

Vejo vocês no próximo post! Byeeeeeee

Dica de Compra: Dot & Bo

Olá Pessoal!

Essa é uma dica que serve para qualquer pessoa que venha visitar os EUA.

Essa é uma loja virtual que vende tudo para casa: DOT & BO ❤

É só dar uma olhadinha no site deles que você vai entender porque estou recomendando a loja (http://www.dotandbo.com/). Só para lembrar que eles não estão me pagando NADA para recomendá-la. Faço isso porque gosto dos produtos que eles vendem.

Hoje eu vou postar para vocês uma das coisas que eu mais gosto da loja: ALMOFADAS.

Infelizmente, eu não posso ter almofada no meu apartamento por causa da poeira e do medo de bedbug, mas nem por isso eu deixo de admirá-las e recomendá-las…rs. Até o Uka, que é super chato com essa coisa de almofada, ontem me viu editando as fotos e ADOROU aquelas que ele viu nas fotos.

Então vamos lá ver as belezinhas:

IMG_8901 IMG_8902 IMG_8904 IMG_8881 IMG_8884 IMG_8897

IMG_8885 IMG_8892

Mesmo que você não tenha interesse em comprar nada na loja, não deixe de dar olhada nas opções de decoração (tem coisa que dá para copiar fácil, fácil no Brasil).

Se gostou do post, não esqueça de curtí-lo 😉 🙂 ❤

Vejo vocês no próximo post! Byyyeeeeee

 

Friaca em Nova York

Olá Pessoal!!!

Eu gosto bastante de escrever sobre esse assunto, pois por mais que eu escreva e divulgue, sempre tem gente que ainda não sabe como funciona o inverno em NY.

NY não fica debaixo de neve o inverno inteiro e nem aquelas temperaturas congelantes fazem parte do nosso dia-a-dia. Veja que quando eu digo congelante, estou falando de algo abaixo de -15 C 🙂 Para quem já está acostumado com o frio, sensação térmica de ZERO ainda é quente…rs

Está previsto para este final de semana BAIXÍSSIMAS TEMPERATURAS, podendo chegar a sensação térmica a -30C. Se você está com viagem marcada para cá neste final de semana, não deixe de seguir as minhas dicas 😉

  • NUNCA saia na rua sem antes ter verificado a sensação térmica. Não se engane com o sol lindo que você vê pela janela. Verificar SÓ a temperatura é furada. Já vi diferenças de mais de 10 graus entre a temperatura e a sensação térmica.
  • NÃO ADIANTA pagar caro em roupas de inverno no Brasil. A menos que elas sejam importadas. Vale muito mais à pena comprar quando chegar no seu destino. PEDIR EMPRESTADO é algo que funciona bastante (e se você tiver medo de estragar a roupa da pessoa que emprestou, use apenas até o momento em que você comprar a sua).
  • INVISTA em roupa de inverno. Você pode querer viajar para outros países com baixas temperaturas e pode aproveitar a roupa. Outra opção é VENDER as roupas quando chegar no Brasil.
  • NÃO ECONOMIZE nas roupas. O frio aqui, nesses dias com baixíssimas temperaturas, é de “dar dor nos ossos”.
  • Coloque toda a roupa ANTES de sair para a rua. Eu não me canso de ver gente que está no quentinho de seu hotel, traz as roupas para a rua e começa a se vestir lá. Como dizem aqui: HUGE MISTAKE. O importante é você já sair quentinho de casa, mesmo que para isso você esteja “cozinhando” na roupa antes de sair.
  • Não saia de cabelo molhado no frio.
  • Com baixíssimas temperaturas, não fique pensando se o gorro ou o cachecol estão combinando. O importante é você se AQUECER! Aqui ninguém liga para o que você está vestindo 🙂
  • Quando a temperatura está muito baixa (como está previsto para este final de semana) isso não significa que haverá neve.
  • Abusem das bebidas quentes (café, chocolate e chá) quando estiverem andando pelas ruas. Isso ajuda bastante!
  • A maioria dos estabelecimentos possuem aquecedor, por isso, esteja preparado para entrar nas lojas, por exemplo, e tirar o casaco. Se você estiver com um bom casaco, não é preciso mais do que uma camisa de manga longa e um pulover por baixo da jaqueta/casaco. Couro NÃO costuma esquentar MUITO, principalmente se for produto comprado no Brasil.
  • Para estes dias de muito frio, prefira visitas a museus e lojas (a Macy’s é enorme e é um ótimo lugar para fugir do frio. Como eles possuem restaurantes e cafés dentro da loja, você só vai sair dela para voltar ao seu hotel).
  • Se você tem problema de alergia ou se tem problemas respiratórios, sugiro trazer uma farmacinha na mala (antialérgico, xarope, analgésico). Aqui temos bons remédios, mas nem todos estão disponíveis sem receita médica).
  • Mesmo que o dia esteja NUBLADO, se estiver ventando eu uso óculos escuros. Isso aqui é bem comum para driblarmos o vento nos olhos.

Eu adoro inverno, mas essas temperaturas muito baixas são de matar qualquer animação de sair de casa. Essa é um tipo de temperatura que não agrada nem quem mora aqui, já que não estamos acostumados com invernos tão frios diariamente.

Se o turista estiver bem agasalhado ele(a) vai poder aproveitar bastante.

Uma última dica: quando você comprar uma passagem para NY no inverno, com algumas semanas/meses de antecedência, NÃO TEM COMO SABER SE ESTARÁ MUITO FRIO OU NEVANDO. Isso só quando já estiver com 1 semana ou menos de antecedência. Se o turista tem medo de pegar este tipo de temperatura, sugiro sinceramente que ele escolha outra época para vir ou que compre a passagem na semana do embarque (assim é possível checar a previsão do tempo).

Ah, esta é a temperatura que está fazendo no momento. Temos -5C com sensação térmica de -9C

IMG_7922

Se gostou do post, não esquece de curti-lo 🙂 ❤

Vejo vocês no próximo post! Byeeeeeeee

Criando um Filho Bilíngue em NY – parte 2

bilingual-brains-617x416

 

Olá Pessoal

O tema do post de hoje é sobre algo que venho pensando há muito tempo. E hoje será um daqueles post des@b@fo 🙂

Quando eu engravidei do Lukinha, combinei com o Uka que aqui em casa falaríamos duas línguas: eu falaria o PORTUGUÊS e o Uka (mesmo sendo brasileiro) falaria o INGLÊS. Eu sei que quem cria um filho bilíngue costuma falar que devemos falar apenas a nossa língua materna em casa e que a outra língua a criança aprenderá quando for para a escola. Tenho amigas que fizeram isso, mas optamos por fazer do nosso jeito.

Lukinha sempre foi preguiçoso para falar, mas acredito que o desenvolvimento linguístico dele caminhou na mesma velocidade que a maioria das crianças que crescem escutando mais de 1 idioma.

Depois que Lukinha entrou na escola (com 4 anos), vimos que o inglês dele melhorou bastante e é a língua na qual ele sente-se mais à vontade para falar. E eu não posso ficar chateada, já que esta É a língua materna dele.

No final do ano passado, a professora dele conversou com a gente e disse que o Lukinha ainda fazia muita confusão de inglês com português (mistura os dois na frase) e pediu para que puxássemos mais o inglês dele. Então, comecei a falar metade inglês e metade português (não na mesma frase, para não confundir ainda mais…rs) e deu certo. A professora disse que ele deu uma melhorada MAS ainda sim, quando a avaliação dele chegou, ele estava com nota UM POUCO abaixo da média das demais crianças no quesito INGLÊS.

Quem conhece o Lukinha sabe que ele é esperto e ele entende TUDO o que a gente fala (seja em inglês ou português). Na cabecinha dele, ele ainda não consegue fazer muito esta diferenciação do que é uma língua e outra. Ele acha estranho quando o Uka fala em português com ele e pergunta porquê o pai está falando daquele jeito.

A pressão para ensinar português ao Lukinha é grande e, devo confessar, que muitas vezes fico frustrada com essa pressão. Mas gente, ele é AMERICANO (é brasileiro porque eu registrei e só foi ao Brasil UMA vez). Não penso em deixar de ensinar português pois esta é a minha língua materna e gostaria SIM que Lukinha aprendesse.

Apesar de Lukinha falar uns 80% de inglês, ele tem bastante interesse em português: adora os gibis da Turma da Mônica e sempre pede para ler e contar histórias em português. Eu não acho que eu deveria FORÇAR o menino com português GOELA abaixo. Eu já dei aulas de português para crianças e me lembro de 3 irmãos que estudavam na escola: um de 11 anos, um de 7 e uma menina de 4. Eu dava aula para o menino de 7 anos e ele CHORAVA (literalmente) em sala de aula porque não queria aprender o português. Na casa deles, o pai era brasileiro, a mãe americana, mas todos só falavam INGLÊS. O português só era falado em sala de aula. Não quero esse tipo de vibe para o Lukinha. Quero que ele aprenda a GOSTAR do português (como ele já demonstra gostar).

Não estou escrevendo aqui como psicóloga e sim como MÃE. É difícil criar um filho bilíngue. É tanto palpite do que se deve e o que não se deve fazer que, por vezes, isso pode deixar os pais confusos e frustrados 😦

Não quero que meu filho vá mal na escola. Por isso, tenho falado muito mais inglês do que português. Assim que ele dominar o inglês, pretendo SIM voltar ao português. Eu e Uka só conversamos em português e esse é um dos poucos momentos no qual o Lukinha escuta o português. Não me recuso a ler histórias e nem a cantar em português, mas gostaria sinceramente que Lukinha não sofresse com o idioma como vem acontecendo.

Eu sei que vou ouvir UM MONTE de um monte de gente que acha que filho de brasileiro, BRASILEIRINHO É. O meu não. Antes de tudo, ele é americano e mora na América. Quero que ele aprenda também os costumes dele. Sempre que posso, tento passar aquilo que sei da cultura dele. Claro que ele recebe uma grande influência da minha, mas quero que ele cresça sabendo a diferença de uma e de outra. Nossos familiares falam muito pouco com o Lukinha por skype/telefone e esse também é um dos motivos da pouca exposição dele ao idioma.

Enfim, estamos fazendo aquilo que achamos que é o certo para o nosso pequeno. Cada criança tem o seu ritmo e o seu jeito de aprender. Se estamos acertando ou errando, só o tempo dirá. Por enquanto, achamos que estamos no caminho certo 🙂 E, se no meio do caminho o negócio desandar, a gente pode repensar a nossa estratégia e mudar as nossas táticas 😉

Ah, não posso deixar de falar que Lukinha já tem voltado da escola arranhando umas palavras em ESPANHOL e FRANCÊS ❤

Por hoje é só! Vejo vocês no próximo post! Byeeeeeee

Como o Mundo Gira!

mundo

 

Olá Pessoal!

O post de hoje será longo e pessoal! 🙂 Senta aí que lá vem história!

Na minha formação acadêmica, eu sempre busquei figuras que me inspirassem a ser uma profissional melhor. Quando comecei a estudar a Terapia Cognitivo-Comportamental, elegi dois profissionais que serviam de MODELO de aprendizagem: o Prof. José Roberto Leite e Prof. Irismar Oliveira – o primeiro psicólogo e o segundo psiquiatra. Com um, eu trabalhei diretamente quando estudava/trabalhava na UNIFESP e o outro, eu “conhecia” (eu sabia sobre ele, mas ele nem sabia da minha existência…rs) dos congressos de Psiquiatria no qual eu participava. Isso tudo ocorreu de 2000 a 2007.

Quando chegou o momento de escolher a banca julgadora do meu trabalho de mestrado, fiquei na dúvida sobre quem chamar: chamar alguém que eu tenho certeza que aprovaria o meu trabalho ou convidar alguém que REALMENTE avaliaria o que eu fiz (e aí, correr o risco do trabalho não ser aprovado). Claro que fui pelo lado mais difícil e desafiador: escolhi a segunda opção 🙂

Convidei os dois profissionais que eu admirava para participar da banca e ambos aceitaram o convite. Por fim, meu trabalho foi aceito e eu consegui o meu título de mestre \o/

Em 2012, o prof. Irismar veio dar um curso em NY sobre uma teoria que ele criou e eu fui assistir. Finalmente, nos apresentamos nesse dia  e ele passou a saber da minha existência. Nesse momento, com todos os anos de trabalho e publicações na área, o prof. Irismar passou a ser a minha fonte de incentivo 🙂

Entre 2012 e 2015,troquei algumas mensagens com o prof. Irismar para falar sobre a teoria que ele criou (em inglês chama-se Trial-Based Cognitive Therapy – TBCT). Após o curso, ele abriu um grupo no yahoo para que os profissionais trocassem experiências e foi por ali que continuamos mantendo contato.

Um dia, ele que já era meu amigo no facebook, perguntou se eu estava atendendo e se ele poderia me encaminhar uma paciente. NOSSA, vocês não imaginam como eu me senti! Como dizem por aí, me senti o último biscoito do pacote. Imagina, você ser recomendada como terapeuta por aquela pessoa que você admira. Fiquei me achando por um bom tempo…rs

No segundo semestre do ano passado, comecei um curso de certificação em TBCT que é dado por ele aqui em NY. Comecei o primeiro módulo e os próximos serão nesse final de semana e em um final de semana de março.

Bom, para resumir, além de fazer o curso, o professor Irismar também está se hospedando aqui em casa. Estou aqui no meu quarto escrevendo este post para vocês e ele está no outro, finalizando o próximo livro dele que será publicado esse ano.

Juro que, se alguém me falasse que o meu ídolo estaria um dia aqui na minha casa, jantando e tomando café conosco, eu ía dizer que a pessoa estava completamente louca. Mas não! Ele está aqui 🙂 Além disso, no ano passado, ele concordou em ser meu orientador do doutorado e isso, com certeza, é muito mais do que eu poderia esperar.

Não acho que nada cai do céu. Com certeza, se eu não tivesse ido atrás de fazer o curso do prof. Irismar, ele não estaria hospedando-se na minha casa. É preciso que a gente dê uma forcinha também.

Depois desse blá blá blá todo, o que eu quero dizer é que não devemos deixar de buscar aquilo que queremos: nada de ficar de braços cruzados esperando que as coisas venham até você.

Para quem quiser saber um pouquinho sobre essa certificação que eu estou fazendo, ela também acontece em alguns estados brasileiros. Eu super recomendo!!!!

Para maiores informações, é possível obter através do facebook:

https://www.facebook.com/Trial-Based-Cognitive-Therapy-Institute-196010620488139/?

Ah, ontem ajudei o prof. a criar um perfil do TBCT no Instagram 🙂 Tô me achando!!!! 🙂

Vejo vocês no próximo post! Byyyeeeeeee

Dica de Museu: Museum of Sex, em Nova York

Museum_of_Sex_entrance_from_west

 

Olá Pessoal!

Já me perguntaram sobre esse museu lá na nossa página do Facebook e eu prometi que um dia escreveria um post falando sobre a minha experiência.

Para ser curta e grossa: o museu é muito caro para pouca coisa (isso na MINHA OPINIÃO). Claro, quando há alguma exposição, dependendo do tema, até vale a pena. E só!

Com o avanço da internet, eu acho que o museu acabou perdendo um pouco. Para quem estuda o tema, talvez seja interessante. Para quem é novinho, também 😉

Com tanta variedade de museus pela cidade, com certeza este NÃO está na lista dos 10 melhores 😦

Eu sei, esse post está bem curtinho e sem muuuuita informação, mas é que já faz muito tempo que eu fui ao museu (mais de 10 anos) e não tenho nenhuma foto. Contudo, o Uka foi recentemente com um familiar nosso e disse que não mudou muita coisa.

Como gosto, política e religião não se discute, eu me lembro de recentemente passar em frente a esse museu e ouvir um grupinho (que estava saindo de lá) falar animadamente sobre o museu 🙂

Recomendo que chequem a página deles: museumofsex.com e vejam se há algo que seja de interesse.

 

Localização: o museu do sexo fica na 233 Fifth Ave com a 27th street. Ele funciona de domingo a quinta, das 10:00 da manhã às 21:00 e de sexta e sábado, das 11:00a.m até às 23:00

 

Vejo vocês no próximo post! Byyyyeeeeeeee

 

Como será o inverno de 2015 em NY

Olá Pessoal!

Perguntas sobre qual o clima de NY em determinada época do ano são as recordistas do nosso blog e da nossa página no facebook. Já cheguei até a fazer um post sobre as 4 estações do ano em NY para poder responder a estas perguntas. Agora, vamos combinar que, muitas vezes, a pessoa quer saber de algo que eu não tenho como responder: como saber se estará chovendo no dia 11 de outubro em pleno mês de maio? Gente, eu sei que muitas vezes a pessoa não faz a pergunta por maldade; mas já teve gente que ficou brava quando eu disse que não sabia.

Havia uma previsão de que o inverno de 2014 seria longo e mais gelado. E a previsão acabou se concretizando. Sim, tivemos dias muito gelados e o inverno foi beeeemmmmm longo. Existe um almanaque bem conhecido dos americanos que é o FARMER’S ALMANAC e, segundo este almanaque, o inverno desse ano será tão rigoroso quanto o do ano passado. Não podemos esquecer também da previsão de que teremos mais tempestades de neve. Estas previsões foram baseadas em climatologia e meteorologia. Não precisa ser nenhum gênio para saber que o inverno aqui é sempre seguido de frio e neve. Agora, a duração do frio já é outra questão 😉

De qualquer forma, o inverno é a estação que mais gosto (sim, adooooro o frio) e eu sempre sugiro conhecer NY nessa época. Se o viajante estiver com a roupa adequada para aguentar o frio, ele poderá aproveitar SIM a cidade. A cidade fica linda e há atrações que já estão disponíveis neste período. É bom lembrar que há realmente dias muito frios e nem quem mora aqui aguenta…rs. Outro detalhe importante é não deixar de checar a sensação térmica (que dará a exata noção do quanto você sentirá de frio…rs).

Onde eu moro (Astoria) costuma ser um lugar que não fica prejudicado pelas nevascas (não há corte de energia, aquecedor, etc). Dentro de casa e nos estabelecimentos comerciais temos aquecedor. Eu sempre digo que passava mais frio quando morava em SP do que aqui.

O mais importante é que o viajante não deixe de visitar a cidade por medo do frio 😉

Foto da última nevasca do inverno de 2014

(vista da minha janela do quarto)

20140213_114343

Vejo vocês no próximo post! Até lá 🙂

Dicas De Segurança Em Caso De Incêndios Em NY

firesafety3

Fonte: http://www.security-today.com

 

Olá Pessoal!

Eu estava escrevendo um outro post quando vi na internet a informação de um prédio que pegou fogo no East Village aqui em NY. Os bombeiros ainda estão tentando apagar o incêndio e o prédio, após uma possível explosão de gás, veio abaixo. Ao total, há 13 pessoas feridas (4 em situação crítica).

Portanto, decidi traduzir para vocês (acrescentando algumas informações que aprendi quando experienciei um incêndio no meu prédio) um informe que está pregado na minha porta (na parte de dentro) sobre instruções de segurança contra incêndio.

O que fazer em caso de incêndio?

– Mantenha a calma

– Ligue para os bombeiros

– Siga as instruções dos bombeiros

Caso você tenha que agir rapidamente, julgue qual ação seria mais segura, guiando-se pelas seguintes informações:

Se o fogo está ocorrendo no seu apartamento:

– Feche a porta para o cômodo onde o fogo está e saia do apartamento

– Tenha a certeza de que todo mundo saia do apartamento com você

– Leve as suas chaves com você

– Feche (mas não tranque) a porta do apartamento (isso agiliza o trabalho dos bombeiros)

– Avise sobre o fogo para as pessoas no seu andar (bata na porta delas no seu caminho para fora do prédio)

– Use a escada mais perto que tiver para sair do prédio.

– NÃO USE O ELEVADOR

– Ligue para o 911 assim que você estiver em um local seguro. Não precisa fazer isso se você já estiver vendo os bombeiros em cena. Não fique achando que alguém já ligou para eles e, por isso, você não precisa ligar.

– Vá ao encontro dos moradores do SEU apartamento em um lugar pré-determinado FORA do prédio. Avise aos bombeiros caso alguém esteja faltando (contando aqui os animais de estimação)

Se o fogo não for em seu apartamento:

– Cheque se a maçaneta e a porta da frente do seu apartamento estão quentes. Caso não estejam, abra uma fresta da porta e espie se no corredor há fumaça, calor e/ou fogo.

– Saia do apartamento e do prédio se você pode fazer isso de forma segura, seguindo as instruções acima para fogo em seu apartamento.

– Se o corredor (hall) ou escada não for segura por causa da fumaça, calor ou fogo e, se você tem acesso a escada de emergência (aquelas que ficam do lado de fora do prédio), use-a. Proceda cautelosamente na escada de emergência e sempre carregue as crianças no colo ou segure na mão delas (para não correr o risco de perdê-las nesse processo de escapar do fogo)

1789_large

Fonte: www.aguntherphotography.com

– Caso você não possa usar as escadas ou a escada de emergência, ligue para o 911 e informe a eles o seu endereço completo, andar, número do apartamento e o número de pessoas em seu apartamento.

– Coloque toalhas e lençóis molhados nas frestas da porta ou qualquer outro lugar no qual a fumaça possa penetrar. Faço um adendo aqui nesse item: quando o meu prédio começou a pegar fogo, eu molhei uma toalha e fiquei respirando através dela para poder abrir as janelas e colocar todo mundo para fora do apartamento. Apesar disso não estar nas instruções, eu posso garantir que me ajudou bastante.

– Abra as janelas, mas só faça isso se as chamas e fumaças não estão vindo por elas.

– Não quebre nenhuma janela.

– Se as condições no seu apartamento parecerem do tipo “risco de morte”, abra a janela e acene com uma toalha ou qualquer coisa que possa atrair a atenção dos bombeiros e/ou de alguém que possa ajudar.

– Se as condições de fumaça piorarem antes da ajuda chegar, deite-se no chão e mantenha uma respiração curta pelo nariz. Se possível, corra para uma sacada/terraço/varanda longe da fonte de chamas, calor ou fumaça.

DICA PARA QUEM ESTÁ DE VISITA EM NY:

Essa dica eu sempre dou para todo mundo e, não é uma forma de assustar e, sim, de PRECAVER as pessoas de transtornos maiores. Para você que está hospedado em hotel/apt ou quarto alugado:

– Mantenha todos os seus documentos juntos e num lugar onde você tenha fácil acesso caso precise.

– Não deixe para arrumar as suas malas no último dia. Todos os dias que você chegar em casa, caso não queira arrumar, jogue tudo dentro da mala, pois caso você tenha que escapar (não só por causa de fogo, mas por qualquer outro motivo) e seja possível, você sai arrastando a mala 😉

– Deixe sempre fácil os documentos do seguro-saúde. Algumas pessoas quando chegam para se hospedar aqui em casa, decidem entregar e deixar em nosso poder os documentos do seguro (pois caso sofram algum acidente, é possível ajudarmos de forma mais efetiva e rápida).

– Em muitos prédios é proibido fumar. Isso não é frescura. O nosso prédio também possui essa proibição e, no entanto, ele pegou fogo porque um morador estava fumando em casa e deixou o cigarro cair no chão.

– Não deixem de checar se os alarmes para fogo/fumaça e o de gás estão funcionando corretamente. Caso você esteja dormindo e algo aconteça, isso pode salvar a sua vida. Os nossos ficam na cozinha e no quarto que alugamos.

Espero que essas dicas ajudem a tornar a viagem de vocês menos estressante 😉

Vejo vocês no próximo post 🙂