E Lá Se Vão 40 Anos…

40 anos

Olá Pessoal!

E hoje, além de ser o dia da mulher (PARABÉNS, MULHERADA!!!), também comemoro meu aniversário. Para quem acha que é bacana isso, devo avisar que NÃO É! Eu nunca ganho presente duplamente 😦 Deixando a brincadeira de LADO, eu gosto sim dessa data.

E mais especial ainda é o dia de hoje porque estou entrando na fase do ENTA (e agora para nunca mais sair).

Devo confessar que estava mais animada para esta data. Inclusive, quando me perguntavam a idade, eu já arredondava logo para 40 🙂 Mas HOJE, parece que o bicho pegou e a ficha caiu! Quarenta anos é muita coisa! 🙂

E essa preocupação toda não tem nada a ver com a questão da idade e da beleza: rugas, coisas caídas e por aí vai. Tem a ver com uma questão mais existencial: o que eu já fiz até agora, quais são meus planos para os próximos anos, como será a minha vida daqui para a frente. Pode ser que pareça um papo um pouco fatalista, mas parece que isso acontece com muitas mulheres quando estão passando pelos seus 20, 30, 40, 50 e por aí vai.

Na verdade, se eu for olhar para trás e para tudo o que conquistei, posso dizer que ainda não estou nem na metade, mas que estou satisfeita com aquilo que eu consegui. E é assim que devemos olhar: valorizar o que temos e plantarmos para colhermos no futuro.

Eu sei que esse post tá meio confuso hoje (ou não?!), mas esse é o meu estado de espírito no momento. Ainda não faz nem 24 horas que eu virei quarentona e já estou sentindo um certo peso da idade…rs

Bom, chega de blá blá blá pois agora eu preciso me arrumar, pois meus meninos prometeram que iriam me comprar um bolo bem bonito e me levar para passear no Central Park!

E que venha mais 40 anos 🙂

Vejo vocês no próximo post! Byeeeeee

Advertisements

Criando um Filho Bilíngue em NY – parte 2

bilingual-brains-617x416

 

Olá Pessoal

O tema do post de hoje é sobre algo que venho pensando há muito tempo. E hoje será um daqueles post des@b@fo 🙂

Quando eu engravidei do Lukinha, combinei com o Uka que aqui em casa falaríamos duas línguas: eu falaria o PORTUGUÊS e o Uka (mesmo sendo brasileiro) falaria o INGLÊS. Eu sei que quem cria um filho bilíngue costuma falar que devemos falar apenas a nossa língua materna em casa e que a outra língua a criança aprenderá quando for para a escola. Tenho amigas que fizeram isso, mas optamos por fazer do nosso jeito.

Lukinha sempre foi preguiçoso para falar, mas acredito que o desenvolvimento linguístico dele caminhou na mesma velocidade que a maioria das crianças que crescem escutando mais de 1 idioma.

Depois que Lukinha entrou na escola (com 4 anos), vimos que o inglês dele melhorou bastante e é a língua na qual ele sente-se mais à vontade para falar. E eu não posso ficar chateada, já que esta É a língua materna dele.

No final do ano passado, a professora dele conversou com a gente e disse que o Lukinha ainda fazia muita confusão de inglês com português (mistura os dois na frase) e pediu para que puxássemos mais o inglês dele. Então, comecei a falar metade inglês e metade português (não na mesma frase, para não confundir ainda mais…rs) e deu certo. A professora disse que ele deu uma melhorada MAS ainda sim, quando a avaliação dele chegou, ele estava com nota UM POUCO abaixo da média das demais crianças no quesito INGLÊS.

Quem conhece o Lukinha sabe que ele é esperto e ele entende TUDO o que a gente fala (seja em inglês ou português). Na cabecinha dele, ele ainda não consegue fazer muito esta diferenciação do que é uma língua e outra. Ele acha estranho quando o Uka fala em português com ele e pergunta porquê o pai está falando daquele jeito.

A pressão para ensinar português ao Lukinha é grande e, devo confessar, que muitas vezes fico frustrada com essa pressão. Mas gente, ele é AMERICANO (é brasileiro porque eu registrei e só foi ao Brasil UMA vez). Não penso em deixar de ensinar português pois esta é a minha língua materna e gostaria SIM que Lukinha aprendesse.

Apesar de Lukinha falar uns 80% de inglês, ele tem bastante interesse em português: adora os gibis da Turma da Mônica e sempre pede para ler e contar histórias em português. Eu não acho que eu deveria FORÇAR o menino com português GOELA abaixo. Eu já dei aulas de português para crianças e me lembro de 3 irmãos que estudavam na escola: um de 11 anos, um de 7 e uma menina de 4. Eu dava aula para o menino de 7 anos e ele CHORAVA (literalmente) em sala de aula porque não queria aprender o português. Na casa deles, o pai era brasileiro, a mãe americana, mas todos só falavam INGLÊS. O português só era falado em sala de aula. Não quero esse tipo de vibe para o Lukinha. Quero que ele aprenda a GOSTAR do português (como ele já demonstra gostar).

Não estou escrevendo aqui como psicóloga e sim como MÃE. É difícil criar um filho bilíngue. É tanto palpite do que se deve e o que não se deve fazer que, por vezes, isso pode deixar os pais confusos e frustrados 😦

Não quero que meu filho vá mal na escola. Por isso, tenho falado muito mais inglês do que português. Assim que ele dominar o inglês, pretendo SIM voltar ao português. Eu e Uka só conversamos em português e esse é um dos poucos momentos no qual o Lukinha escuta o português. Não me recuso a ler histórias e nem a cantar em português, mas gostaria sinceramente que Lukinha não sofresse com o idioma como vem acontecendo.

Eu sei que vou ouvir UM MONTE de um monte de gente que acha que filho de brasileiro, BRASILEIRINHO É. O meu não. Antes de tudo, ele é americano e mora na América. Quero que ele aprenda também os costumes dele. Sempre que posso, tento passar aquilo que sei da cultura dele. Claro que ele recebe uma grande influência da minha, mas quero que ele cresça sabendo a diferença de uma e de outra. Nossos familiares falam muito pouco com o Lukinha por skype/telefone e esse também é um dos motivos da pouca exposição dele ao idioma.

Enfim, estamos fazendo aquilo que achamos que é o certo para o nosso pequeno. Cada criança tem o seu ritmo e o seu jeito de aprender. Se estamos acertando ou errando, só o tempo dirá. Por enquanto, achamos que estamos no caminho certo 🙂 E, se no meio do caminho o negócio desandar, a gente pode repensar a nossa estratégia e mudar as nossas táticas 😉

Ah, não posso deixar de falar que Lukinha já tem voltado da escola arranhando umas palavras em ESPANHOL e FRANCÊS ❤

Por hoje é só! Vejo vocês no próximo post! Byeeeeeee

Viajar de Nova York para Londres em 30 Minutos?

ny_london

 

Páaaaaaara tudo! Jura que isso é verdade? Como assim???!!!!

Bom, essa é a notícia que eu li no spoilednyc.com e que venho aqui comentar com vocês.

Pois é, o tal avião terá capacidade para 75 pessoas e viajará 10X mais rápido que a velocidade do som. WOW WOW WOW…e mais um WOW porque a notícia é boa demais 😉

Infelizmente (?) isso ainda está em projeto e talvez nunca saia do papel e, ainda, nunca se torne um vôo comercial. CONTUDO, com o avanço da ciência e tecnologia, será que não podemos sonhar um pouquinho? Se Deus quiser, esse meio de transporte será lançado quando eu já for uma vozinha ainda enxuta e quiser passear pela Europa, não vou perder tanto tempo dentro de um avião…rs

Não vou dar detalhes maiores do projeto pois isto está no link abaixo 😉

http://spoilednyc.com/2015/11/03/new-jet-could-get-you-from-nyc-to-london-in-30-minutes/?

 

Vejo vocês no próximo post! Byeeeeeeee

Novo Integrante na Família Viajante Sem Mala?!

Car-font-b-Stickers-b-font-Cool-Cute-font-b-Baby-b-font-on-Board-Car

 

Olá Pessoal!

Bom, vamos começar respondendo a pergunta daqueles que leram o título: NÃO, NÃO ESTOU GRÁVIDA! (ainda) 🙂 E sim, estou planejando aumentar a família em 2016 🙂 ❤ Ou seja, o novo integrante da família Viajante Sem Mala já existe no plano das idéias 🙂 Hey, antes de me julgar, lembre-se que sou psicóloga e isso para nós é super importante…rs

Lukinha vem fazendo campanha por um irmão TODO SANTO DIA! É sério, tudo é BABYZINHO para cá, BABYZINHO para lá. Até fazer projetos de escola para nós e para o(a) irmão(ã) ele vem fazendo ❤

Primeiramente, Lukinha disse que queria que o irmão se chamasse BATMAN, mas agora ele já está mais aberto para outros nomes! #graçasaDeus

O Lukinha foi planejado para logo depois que eu recebi o visto O-3 e agora que estou trocando de visto e que a idade está gritando…rs…decidi que era a hora do segundo e último 🙂 . Quando eu estava grávida do Lukinha, eu dizia que ele era o primeiro e último. Pelo visto, mordi a língua. Faço isso não só pelo Lukinha, que eu tenho certeza que iria se beneficiar e muito com outra criança aqui em casa (aliás, o baby também terá muita sorte de ter um big brother como o Lukinha), mas também porque eu quero passar por essa experiência da “barriga” novamente. Tenho certeza que agora será tudo mais fácil e, conto com um ajudante super motivado 🙂 🙂 🙂 ❤ ❤ ❤

Eu adoraria ter uma menina: não porque acho lindo casal, mas porque gostaria de ter a experiência de criar uma menina, colocar lacinhos, etc. Claro que se vier outro menino, será abençoado e amado igual (já pensei também se não seria mais fácil criar outro menino, já que aparentemente eu já sei fazer isso bem…hahahahaha).

Bom, vou postando aos poucos as grandes mudanças que temos para o ano de 2016 (gente, é sério, eu acho que eu nunca tive tanta mudança em tão pouco tempo…aguardem os posts e vamos ver se vocês concordam comigo ou não).

Assisti com o Lukinha este vídeo e ficamos (sim, ele também ficou) muito emocionados com a reação do menino que recebeu a notícia de que ganharia um(a) irmão(ã). Tenho certeza que com o Lukinha não será muito diferente:

http://www.parents.com/pregnancy/everything-pregnancy/no-one-is-more-excited-to-be-a-big-brother-than-this-little-boy/

 

Vejo vocês no próximo post! Byeeeeee