Quer sublocar um quarto da sua casa e não sabe por onde começar?

Uma amiga me mandou uma mensagem querendo saber mais detalhes sobre como funciona o aluguel aqui em casa. Mas…ela não queria saber os detalhes do post que eu escrevi há um tempinho atrás. Ela queria saber como é o processo de alugar: onde eu posto os anúncios, de onde eu tirei as regras da casa, como é a experiência de contato com os hóspedes, etc. E é a partir dessa mensagem que decidi escrever este post. Espero que seja de grande valia para aqueles que ainda têm dúvidas sobre esse assunto.

Na minha opinião, a grande maioria das pessoas que alugam quarto o fazem por NECESSIDADE, ou seja, porque precisam do dinheiro para ajudar a pagar as contas. Simples assim! Pelo menos, é assim aqui em casa 🙂 Voltamos a alugar o quarto quando ficamos muito apertados financeiramente e precisávamos de um dinheiro que pudesse ajudar a pagar o caríssimo aluguel aqui em NY.

Primeiro, começamos anunciando o aluguel do quarto entre os amigos: mandávamos mensagem por e-mail e facebook e pedíamos que redirecionassem aos amigos. Demorou um pouco para que conseguissemos pessoas para alugar aqui. Mandei também mensagem para pessoas que já haviam alugado comigo a um tempo atrás e alguns voltaram a se hospedar aqui \O/

Uma de nossas hóspedes nos contou que estava em alguns grupos no facebook e que lá sempre encontrava anúncios de pessoas pedindo dicas de hospedagem barata em NY. Até então, estávamos alugando apenas para amigos e amigos de amigos. Com a dificuldade financeira aumentando, decidimos que era hora de arriscarmos e darmos mais um passo: nossa amiga (sim, porque deixou de ser apenas ex-hóspede) escreveu um post em um grupo falando sobre a experiência que ela teve conosco e colocou nossos contatos. Foi a melhor coisa que aconteceu para nós e somos gratos a ela até hoje!

Adicionei alguns grupos, passei a ajudar as pessoas que queriam dicas de NY (independente de ficar na minha casa ou não) e passei a ser conhecida. Atualmente, recebo recomendações das próprias moderadores e de amigos que fiz nestes grupos: eles mesmos me indicam quando alguém posta algo perguntando sobre hospedagem em NY. São uns amores ❤ Até gente que não me conhece pessoalmente me ajuda a divulgar o quarto (são os anjos que vão cruzando o nosso caminho). Não podemos esquecer da falar da nossa ex-hóspede e amiga GABY PELO MUNDO, que escreveu um post super bacana no blog dela falando da gente e que já rendeu alguns hóspedes.

Optamos por gravar um vídeo (ao invés de tirar fotos), pois achamos que daria uma idéia melhor de espaço do quarto (o vídeo teve até a ajuda sonoplástica dos passarinhos do bairro…rs). Elaboramos um documento com detalhes do nosso bairro, localização, preço, detalhes do quarto e regras da casa. Este é um documento que está sempre sendo atualizado: seja para incluir coisas que vamos comprando para o quarto, seja para incluir/excluir algumas regras que são alteradas de acordo com a nossa experiência.

As regras da casa devem ser elaboradas de acordo com a disponibilidade dos donos da casa e da forma como pretendem se relacionar com os hóspedes. Começamos a alugar contando muito com o bom senso das pessoas e isso nem sempre aconteceu, infelizmente! O melhor é que as regras sejam escritas e que a pessoa possa redirecionar junto com o vídeo/foto do quarto. No nosso doc, ainda temos uma explicação detalhada de como o hóspede poderá chegar de metrô até a nossa casa, tanto do aeroporto JFK como do LaGuardia (que, aliás, é pertíssimo de casa).

O contato com o hóspede começa geralmente por e-mail ou mensagem privada no facebook. Uma das minhas primeiras ações é mandar o vídeo e o doc com as regras da casa. Também ajudo respondendo qualquer dúvida que surja tanto daqui de casa quanto de NY. Costumo manter comunicação escrita com a pessoa que ficará aqui e, assim, vamos nos conhecendo um pouquinho. Eu acho muito importante este contato, tanto para mim, que sei como será o hóspede, como para o hóspede, que já vai ficando mais à vontade conosco.

Algumas lições que aprendi com esta atividade:

Tente não irritar-se com a falta de educação de algumas pessoas. A falta de educação das pessoas é algo que me irrita muito e aprendi a relaxar um pouco mais quanto a isso. MUITAS VEZES você receberá e-mail de pessoas perguntando sobre disponibilidade de datas, fazendo mil perguntas e SIMPLESMENTE DESAPARECEM. Não se dão nem ao trabalho de agradecer a mensagem. Poucos são aqueles que não ficam aqui e que RESPONDEM a mensagem. Ninguém é obrigado a ficar aqui em casa. Uma pessoa pedir informação não significa que ela ficará aqui, agora…CUSTA RESPONDER O E-MAIL?! Antigamente eu mandava mensagem perguntando se a pessoa havia recebido a minha resposta. Atualmente, nem me incomodo mais com isso. Já aconteceu duas vezes o seguinte caso: a pessoa simplesmente me mandou e-mail novamente como se nunca tivesse falado comigo. Eu simplesmente NÃO ALUGUEI O QUARTO para elas. Não vou botar pessoas assim dentro da minha casa.

Muitas vezes, as pessoas acabam “esquecendo” que estão na casa de família e não em um hotel: recebemos hóspedes de vários lugares do mundo, mas a grande maioria são brasileiros que moram no Brasil, nos EUA e no Canadá. É gritante a diferença de tratamento dispensando A NÓS por quem mora no Brasil e quem mora fora. O maior problema que tivemos até hoje foi em relação ao horário de entrada e saída do quarto. COSTUMÁVAMOS ser mais flexíveis quanto a isso. A partir de algumas experiências insatisfatórias, decidimos estabelecer um horário para entrar e sair. Ainda assim, algumas pessoas passaram a burlar esta regra e, então, decidimos COBRAR por entrar antes ou depois do horário pré-estabelecido. O que fica difícil para algumas pessoas entenderem é que: NÃO SOMOS HOTEL, não ficamos 24 horas à mercê dos hóspedes. Esta é a NOSSA CASA e temos atividades FORA dela. Já deixei de trabalhar várias vezes para ficar em casa e entregar/receber chave de hóspede. Já tive que pagar uma pessoa para ficar aqui em casa esperando o hóspede sair (sim, porque aqui a maioria trabalha por hora e isso é considerado TRABALHO). Ganhamos por HORA trabalhada e quando a pessoa quer entrar antes no horário de check in, não posso alugar o quarto na noite anterior. Este é um item no qual NÃO há negociação. Tem hóspede que não entende que para deixar a mala aqui precisa de alguém para abrir a porta.

Cobre aquilo que você acha justo pelo quarto: cobre o preço que você acha justo não só pelo quarto, mas por toda a estrutura que você oferece por trás do aluguel. No nosso caso, ajudamos com o roteiro, vamos ao supermercado ou compramos comida na vizinhança e não cobramos pelo serviço.

Restrinja espaços da casa que você não quer compartilhar com os hóspedes: moramos num apErtamento de apenas 1 quarto, então não temos muitos cômodos para compartilhar. Compartilhamos tudo, menos o fogão e o microondas.

Deixe tudo por escrito e faça valer a sua palavra: não deixe que o hóspede descubra que ficará impossibilitado de tal e tal coisa no momento em que ele chegar na sua casa. Siga o princípio: não faça com os outros o que não quer que façam com você. Agora, lembre-se: ESTA É A SUA CASA e se alguém passar dos limites, você tem o direito de pedir para que a pessoa saia.

Faça com que o hóspede sinta-se em casa: trato meus hóspedes da mesma forma que trato os meus amigos que vêm me visitar. Quero que as pessoas se sintam o mais confortável possível aqui em casa.

Algumas pessoas que já passaram por aqui se tornaram ex-hóspedes e outras AMIGOS 🙂

 

 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s