Como surgiu a idéia de alugar um quarto para turistas?

Antes de conhecer os EUA, sempre que eu via minhas amigas dividindo o apê com outras pessoas achava aquilo muito diferente do que eu estava acostumada. Só de pensar em viver embaixo do mesmo teto com alguém que é um estranho já me causava arrepios (ah, como o mundo gira…rs).

Quando vim para NY pela primeira vez, em 2004, conheci muitas pessoas que viviam nesse esquema de dividir o apartamento com outra(s) pessoa(s), a fim de poderem pagar o altíssimo aluguel de NY. E, foi a partir desta viagem, que vi que tudo era questão de olhar as coisas de um ângulo diferente. Foi assim que mudei minha opinião sobre o assunto.

Quando me mudei para cá em 2007, eu mesma subloquei um quarto na casa de uma família em Astoria e, morei lá até conseguir alugar o meu próprio apartamento.

Já instalada no meu apê, comecei a receber pessoas por temporada, pessoas estas que eram encaminhadas por uma “amiga” brasileira que me encaminhava esses viajantes (todos brasileiros) em troca de um agrado $. Depois de um tempo e alguns contratempos, decidi alugar apenas por mês e foi aí que começou a minha saga pelo “roommate ideal”.

Antes de chegar no meu último roommate (que ficou comigo por quase 3 anos), eu tive 2 experiências péssimas:

– aluguei um quarto para um senhor marroquino de 61 anos que me roubou (um dia cheguei em casa e as coisas do quarto dele e da cozinha tinham sido levadas. Ele só não levou nada do meu quarto porque estava trancado e ele não teve tempo).

– aluguei o quarto para uma peruana que, depois de 1 mês, quis ficar morando “de graça” e disse que, se eu quisesse ela fora do apartamento, deveria processá-la. Claaaaaro que não precisei disso: fui na polícia, coloquei as coisas dela em vários sacos de lixo e coloquei para fora de casa. Foi um dramalhão, gritaria entre a vizinhança, mas consegui me impor e ela foi embora. Dois meses depois recebi um telefonema de uma brasileira que queria saber como tinha sido minha experiência com ela (é muita cara de pau desse povo picareta: ela pagava 1 mês e ficava 3, 4 de graça). Coisas de NY! Devo confessar que, depois desse incidente, as pessoas começaram a ficar com medo de mim e eu me surpreendi com a minha forma de lidar com as coisas. Acho que foi aí que comecei a me sentir mais NATIVA 😉 .

(Entra aqui um parênteses sobre as duas pessoas citadas acima: as duas foram RECOMENDADAS por uma pessoa conhecida).

Finalmente, encontrei um roommate que viveu na minha casa por quase 3 anos (ele já estava morando no meu apê no dia do escândalo da peruana e ficou com muito medo de mim…hahaha). Ele morou lá em casa mesmo quando eu já estava casada (casei e ele continuou morando por mais 1 ano depois do casório).

Um dia decidi que era hora de mudança: eu e o Uka fomos morar no Brooklyn e… sozinhos. Moramos num apartamento pequeno, mas com 3 quartos e que mais parecia uma casa de boneca. O lugar era lindo e morávamos em frente a um parque. Tudo ía bem até que o Uka foi assaltado em frente de casa e a luz do dia. Ficamos com tanto medo que na mesma semana nos mudamos e acabamos retornando para Astoria e para morar em um dos apartamentos do mesmo senhor que sempre alugou para mim enquanto eu morei no Queens.

Como nossa mudança foi muito rápida e inesperada, acabamos pegando o primeiro imóvel vago: um studio! E por lá ficamos por mais de um ano, até conseguirmos um apartamento maior (de 1 quarto) exatamente em frente ao studio que morávamos (e, sim, o dono do apartamento é o mesmo…rs).

Passamos por muito aperto financeiro e decidimos que era hora de alugarmos um quarto novamente.

Começamos alugando para amigo e amigo de amigo. Depois de alguns meses nesse esquema, decidimos que era hora de divulgarmos o nosso quarto nos grupos do facebook e, assim começamos a alugar para pessoas advindas desses grupos.

Paralelo a divulgação do quarto nesses grupos, passei a dar dicas de NY e a também responder perguntas de viajantes que planejavam sua viagem a Big Apple.

Posso afirmar que temos conhecido pessoas maravilhosas nessa nossa experiência de aluguel e, que os contratempos gerados acabam sendo mínimos em vista do ganho (não apenas financeiro) que nós temos.

Hoje já sou recomendada nos grupos pelos amigos que fomos fazendo ao longo desse caminho (incluindo aqui até os moderadores desses grupos e aquelas pessoas que NUNCA ficaram aqui, mas que lêem sobre nós nos grupos). Ah, não posso deixar de citar o post que uma ex-hóspede e amiga escreveu sobre a experiência na nossa casa:

http://gabypelomundo.blogspot.com/2013/09/pense-fora-da-caixinha-e-hospede-se-no.html

E, dessa experiência de aluguel de quarto, foi-se criando demandas dos translados, o serviço de amiga de aluguel e as demais atividades desenvolvidas por nós atualmente (todas merecem um post separado… 😉 ).

E que venham os demais hóspedes!!!!

Advertisements

3 thoughts on “Como surgiu a idéia de alugar um quarto para turistas?

  1. Pingback: Como funciona o aluguel do quarto em NY | VIAJANTE SEM MALA

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s